• Nathan França

O Estado Original do Homem


Catecismo Maior de Westminster — Pergunta 20: “Qual foi a providência de Deus para com o homem, no estado em que ele foi criado?”.

Resposta: A providência de Deus para com o homem, no estado em que ele foi criado, consistiu em coloca-lo no Paraíso, designando-o para cultivar, dando-lhe liberdade para comer o fruto da terra; pondo as criaturas sob o seu domínio; e ordenando o matrimônio para o seu auxílio; em conceder-lhe comunhão com Deus, instituindo o dia de descanso; entrando em um pacto de vida com ele, sob a condição de obediência pessoal, perfeita e perpétua, da qual a árvore da vida era um penhor; e proibindo-lhe comer da árvore da ciência do bem e do mal, sob pena de morte. (Gn 1, 2).


Há pelos menos 7 aspectos importantes relativos ao estado original do homem:


1) Paraíso — A primeira residência do homem foi em um jardim chamado Éden. Esse lugar era perfeito para a habitação humana. Não há uma descrição bíblica detalhada a seu respeito, mas fica claro que era um lugar em que homem poderia se alimentar livremente, ter comunhão com Deus e com sua esposa e trabalhar no cuidado da terra e dos animais (Gn 2.8-15).


2) Trabalho — Ao contrário do que muitos pensam, o trabalho não é consequência da Queda do homem em pecado. O trabalho faz parte da boa criação de Deus (Gn 2.15). Trabalhar é uma atividade que visa o bem e o prazer do próprio homem. Deveríamos buscar ter uma visão adequada do trabalho à luz de seu propósito original. Ao invés de desprezá-lo e fugir dele.


3) Alimentação — A graça de Deus se mostrou abundante no estado inicial do homem também no que diz respeito à alimentação. Não havia restrições aos frutos das árvores. Não era necessário controlar a glicose, a gordura e o sal. Todos os frutos estavam disponíveis para comer livremente (Gn 1.29-30; 2.9,16).


4) Domínio e autoridade — O homem é uma criatura de Deus, por isso está sob a autoridade de Deus. Porém, o homem é mais do que mera criatura; ele foi criado como uma pessoa, feita conforme a imagem e semelhança de Deus. Por isso, foi colocado pelo próprio Deus na função de gerente de tudo o mais que foi criado. Dar nome aos animais (Gn 2.19) é um exemplo da sua posição de autoridade sobre a criação como um todo.


5) Matrimônio — Muita gente hoje, ao pensar em casamento, diz “Deus me livre”. Porém, o casamento, assim como o trabalho, faz parte da boa criação de Deus (Gn 1.27,31). Nós todos precisamos de uma companhia, e a companhia perfeita sempre será a de um outro ser humano do sexo oposto em uma aliança de casamento.


6) Dia do Senhor — Ao ser criado, o ser humano foi colocado em um tríplice relacionamento: com Deus, com o seu semelhante e com a criação. O primeiro e principal relacionamento do homem é com Deus. A qualidade desse relacionamento com Deus determinará a qualidade dos demais relacionamentos. Ao abençoar, santificar e descansar no sétimo dia (Gn 2.3), Deus ensinou ao homem que embora o trabalho e as atividades normais do dia a dia sejam importantes, há um tempo específico que deve ser destinado à relação com Deus em descanso e adoração.


7) Pacto — Como em todo relacionamento entre pessoas, entre Deus e o homem foi estabelecido um acordo (pacto, aliança). Esse acordo foi soberanamente administrado por Deus, afinal de contas, Deus e o homem não são partes iguais. Nesse acordo, Deus prometeu ao homem vida eterna (isto é, comunhão perfeita com ele mesmo) sob a condição de obediência perfeita e perpétua a um preceito: não comer da árvore do conhecimento do bem e do mal.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo