• Nathan França

Anjos

Atualizado: 8 de Out de 2019


A pergunta número 16 do Catecismo Maior de Westminster é a seguinte: “Como Deus criou os anjos?”. A resposta é: “Deus criou todos os anjos, como espíritos imortais, santos, poderosos e excelentes em conhecimento, para executarem os seus mandamentos e louvarem o seu nome, todavia sujeitos à mudança” (Cl 1.16; Mt 22.30; Lc 20.36; Mt 25.31; 2Ts 1.7; Mt 24.36; 1Pe 1.12; Sl 91.11,12; Mt 13.39; Sl 103.20,21; 2Pe 2.4).


1) Os anjos são seres espirituais criados – O único ser não criado é Deus. Ele o princípio de todas as coisas. Um dos significados básicos da palavra “céus” na Bíblia é “mundo espiritual, invisível”, e da palavra “terra”, é “mundo físico, visível”. Nesse sentido, o primeiro versículo bíblico diz que no princípio Deus criou todas as coisas invisíveis, inclusive os anjos.


2) Os anjos são espíritos imortais – Não há nenhuma menção bíblia à morte de um anjo. Pelo contrário, há uma passagem que diz que o salvos não poderão morrer, pois serão como os anjos (Lc 20.36). Devemos lembrar, entretanto, que só Deus tem vida em si mesmo (Jo 5.6).


3) Os anjos são santos, poderosos e excelentes em conhecimento – Os anjos de Deus são aceitos em sua presença por não terem pecado, são também poderosos e militam pela causa do reino de Deus, e, além disso, são altamente capacitados intelectualmente.


4) Os anjos estão a serviço de Deus – A ideia de que cada um possui um anjinho da guarda pessoal não é verdadeira. Contudo, é fato que Deus protege seus filhos por meio dos seus anjos (Sl 91.11,12). Os anjos atuam no mundo físico e espiritual cumprindo os propósitos de Deus, dentre os quais está a adoração do seu nome.


5) Os anjos não são infalíveis – A Bíblia se refere também aos anjos caídos, os quais preferiram a desobediência e a rebelião contra Deus, assim como os homens. Por isso terão o mesmo fim, conforme 2Pe 2.4 e Mt 25.41.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo