• Nathan França

A procedência divina das Escrituras

Atualizado: 7 de Dez de 2019



A pergunta número 4 do Catecismo Maior de Westminster é a seguinte: “Como se demonstra que as Escrituras são a Palavra de Deus”. A resposta é: “Demonstra-se que as Escrituras são a Palavra de Deus pela sua majestade e pureza do seu conteúdo, pela harmonia de todas as suas partes e pelo propósito do seu conjunto, que é dar glória a Deus; pela sua luz e pelo poder que possuem para convencer e converter os pecadores e para edificar e confortar os crentes para salvação. O Espírito de Deus, porém, ao testemunhar, pelas Escrituras e juntamente com elas no coração do homem, é o único capaz de completamente persuadi-lo de que elas são a Palavra de Deus” (1Co 2.6,7; Sl 119.18,129; Sl 12.6; Lc 24.27; At 18.28; Hb 4.12; Tg 1.18; Rm 15.4; At 20.32; Jo 16.13,14).


Muitos questionam a respeito da veracidade e poder das Escrituras. Estes que fazem esse tipo de questionamento na verdade não tiveram seus olhos desvendados pelo Espírito de Deus.


Embora muitos argumentos plausíveis possam ser dados em favor da procedência divina das Escrituras, Deus escolheu torna-la plenamente aceitável somente àqueles a quem ele quer revelar. A estes, as Escrituras são majestosas, cheias de luz e de vida, capazes de trazer consolo, alegria e esperança.


Crer na Bíblia como Palavra de Deus é em si uma prova cabal da presença do Santo Espírito. Ele foi quem registrou, preservou e conduz os homens a aceitar as Escrituras Sagradas.


Muitos já foram perseguidos e mortos por causa da Bíblia. Se hoje podemos ler o texto sagrado em formato digital ou físico é porque muito sangue foi derramado. Por que será que a Bíblia é o livro mais perseguido do mundo?

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo