• Nathan França

A entrada do pecado


Catecismo Maior de Westminster — Pergunta 21: “Continuou o homem no estado em que Deus o criou no princípio?”. Resposta: Nossos primeiros pais, sendo deixados à liberdade de sua própria vontade, pela tentação de Satanás transgrediram o mandamento de Deus, comendo do fruto proibido; e, por isso, caíram do estado de inocência em que foram criados (Gn 3.6-8,13.

O homem é tanto uma criatura como uma pessoa. Como criatura, o homem é um ser inteiramente dependente e subordinado a Deus. E como pessoa, o homem é um ser responsável e livre. Sua liberdade, quando criado, era irrestrita; o homem podia ou não continuar no estado original em que foi criado. Em outras palavras, o homem podia continuar em uma relação perfeita com Deus mediante sua obediência ou decair desse estado. A isso comumente chamamos de “livre-arbítrio”.

Fazendo uso do livre-arbítrio, nossos primeiros pais decidiram rejeitar a palavra de Deus e dar ouvidos a Satanás. Comeram o fruto proibido. A partir de então, o arbítrio do homem deixou de ser livre e passou a ser escravo do pecado. Com a consciência cativa ao pecado e uma inclinação natural ao mal, o homem continuou livre, mas não mais para escolher a Deus e obedecê-lo. A isso chamamos Queda. O homem decaiu do seu estado de vida espiritual e perfeição original para um estado de escravidão ao pecado e morte espiritual.


Nathan F. França

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo